CIRCUITOS DE IMAGEM

Estes circuitos estão localizados entre o seletor de canais e o tubo. Tem como função processar os sinais responsáveis pela imagem, cor e som. Nos TVs antigos (anos 80) tais circuitos encontravam-se dentro de 3 ou 4 CIs. Já nos TVs modernos estão todos dentro do CI faz tudo. Veja abaixo o princípio básico dos circuitos de imagem usando o faz tudo:

Seletor de canais - Ou varicap, tem o aspecto de uma caixinha blindada. Recebe o sinal das emissoras na antena, seleciona um canal e transforma em sinais de freqüência intermediária (FI) de cerca de 44 MHz. Na realidade do seletor saem três sinais de FI: vídeo (45,75 MHz), cor (42,17 MHz) e som (41,25 MHz);

1° FI - Amplifica o sinal do seletor para o filtro SAW;

SAW - É um filtro de 5 terminais, podendo ser redondo metálico ou retangular de epóxi. Deixa passar os sinais de FI e bloqueia as interferências vindas do seletor;

FI - Esta etapa está no faz tudo e amplifica os sinais de FI do seletor;

Detetor de vídeo - Recebe o sinal de FI e extrai dele: o sinal de luminância (Y) entre 0 e cerca de 2 ou 3 MHz, sinal de croma de 3,58 MHz e o novo sinal de som de 4,5 MHz. Lembrando que luminância (Y) é o nome dado ao sinal correspondente à imagem em preto e branco, ao brilho e ao contraste da mesma.

Trap e filtro de som - São normalmente dois filtros de cerâmica para separar o som do resto do sinal. O trap de som é um filtro cerâmico ligado em paralelo com uma bobina. Fica no caminho do vídeo para aterrar o sinal de som, evitando que este vá para o tubo e interfira na imagem. O filtro de som é um filtro cerâmico sem bobina na entrada do circuito de som. Separa o sinal de 4,5 MHz para os circuitos de som do TV;

Distribuidor de vídeo - Recebe os sinais de luminância e croma e o distribui para os respectivos circuitos. Este transistor não é usado por todos os TVs, porém o é pela maioria. Após o distribuidor, o sinal Y deve ser separado do sinal de cor. A separação pode ser feita fora do faz tudo através de bobinas e capacitores (traps ou filtros) ou então dentro do faz tudo como ocorre nos TVs modernos;

Circuito de luminância (Y) - Amplifica o sinal Y e o envia para a matriz com as cores. No circuito Y encontraremos a DL (linha de atraso) que impede a chegada deste sinal à matriz antes das cores. A DL de luminância pode ser externa ou interna ao faz tudo. Se for externa é uma bobina de três terminais com o meio no terra e encapsulada com cerâmica;

Circuito de cor - Têm basicamente quatro funções: 1° Amplificar os sinais de cor (vermelho R-Y e azul B-Y) enviados pela emissora, 2° Separar estes dois sinais de cor, 3° Demodular os sinais de cor (fazendo-os voltar para suas freqüências originais) e 4° Obter o sinal do verde G-Y. Embora o circuito de cor pareça um tanto complexo, ele está quase todo dentro do faz tudo. Do circuito de cor saem três sinais: R-Y (vermelho), G-Y (verde) e B-Y (azul);

Matriz - Mistura cada cor com a luminância, resultando novamente nos sinais RGB que serão amplificados pelos saídas e aplicados nos catodos do tubo para produzirem imagem colorida. A matriz pode ser feita dentro do faz tudo (TVs modernos) ou nos próprios saídas RGB (TVs antigos). Neste caso, a luminância entra nos emissores e as cores nas bases dos transistores.

 

Princípio básico dos sinais de imagem e cor (PAL e NTSC)

Circuitos de imagem com faz tudo mais antigo

Circuitos de imagem com faz tudo mais moderno

Identificação dos principais componentes dos circuitos de imagem

Seletor de canais comum (antigo)

Seletor de canais moderno (PLL)

Tipos de filtro SAW

Bobina detetora de vídeo

Filtros de cerâmica (trap e filtro de som)

Linha de atraso (DL) de luminância

Linha de atraso (DL) de cor usando um bloco de vidro

Linha de atraso (DL) de cor usando um CI

Cristais do circuito de croma

Entradas AV

Controles dos circuitos de imagem

Controle automático de ganho (CAG)

Circuitos de sincronismo

Forma dos sinais nos circuitos de imagem

Freqüências dos canais de televisão

Componentes usados nos circuitos de imagem

 

Voltar